Você pode doar seu sémen para uma inseminação artificial?

Se a sua resposta for sim, certamente você é uma pessoa de bons princípios, dotada de uma vontade inabalável de ajudar aos seus semelhantes, principalmente aqueles que não podem conceber filhos por questões meramente de saúde. Mas cuidado, pois de acordo com um estudo realizado pela Clínica de Reprodução Assistida Ginefiv, não é necessário apenas ter boa vontade. Segundo eles, somente dez por cento dos pretensos doadores de sémen estão aptos a sê-lo.

Isso deve-se principalmente a um factor muito importante na doação: a boa qualidade do sémen. Nos últimos anos essa qualidade tem decaído sensivelmente devido ao stress, ao excesso de trabalho, a contaminação dos alimentos, ao tabagismo, e inclusive, ao uso de roupas interiores apertadas.

Para ser doador de sémen o homem deve reunir uma série de pré-requisitos, tais como: ter idade entre 18 e 35 anos, não possuir antecedentes pessoais ou familiares com enfermidades hereditárias graves, não ser portador de doenças sexualmente transmissíveis e, por último, submeter-se a um rigoroso teste psicológico.

Além de todas estas condições, o doador deve ter uma alta qualidade espermática que se caracterize numa concentração de espermatozóides superior a 50 milhões por milímetros cúbicos, deve ter um volume de ejaculação superior a dois milímetros e uma morfologia de espermatozóide adequada e que seja regida pelos critérios adoptados pela Organização Mundial da Saúde (OMS), que estabelece,nesses casos, que os mesmos sejam simétricos, lisos, ovais, com a cauda recta, o núcleo fixo e de cor transparente. É por essas restritas exigências que a clínica Ginefiv acredita que somente 10% dos aspirantes doadores apresentem estes requisitos.

Esses mesmos investigadores acreditam que a qualidade do sémen tem decaído nesses últimos anos devido, em grande parte, aos factores anteriormente descritos e ao agitado estilo de vida a que está submetida a sociedade actual. Efectivamente, de todos os casais inférteis, 40% dos casos são causados por problemas masculinos.

A maioria dos casais com problemas de infertilidade recorrem a sémen de um doador para poderem ter filhos. É um processo caro e bastante demorado. Por isso, o esperma do doador deve ser de uma pessoa saudável e com excelente qualidade espermática. A primeira coisa a ser feita é realizar um espermograma (análise seminal) para verificar se o esperma é de boa qualidade. Depois será realizado um estudo mais completo sobre antecedentes familiares, análise de sangue para confirmar que não há nenhuma enfermidade e, por último o teste psicológico. Se todas estas provas forem positivas, o doador pode começar a fazer a doação por um período de 6 meses aproximadamente.

Deixe o seu comentário