Truques para sobreviver às noites quentes de verão (sem ar condicionado)

dormirSofrer com o calor do verão pode ser muito duro, sobretudo se não tivermos ar condicionado, mas mesmo que tenhamos ar condicionado podemos não o querer usar para poupar energia e/ou reduzir a nossa pegada ecológica. No entanto, há muitas noites em que a sensação de calor pode até mesmo impedir que se durma, pelo que é necessário encontrar alguma solução para este problema.

Embora pareça impossível, existem alguns truques que nos permitem sobreviver sem ar condicionado, até mesmo quando as noites são tão quentes que quase ninguém consegue dormir.

Sem estar a inventar muito, uma primeira medida pode ser investir nas clássicas ventoinhas. Embora possa parecer um aparelho caduco e superado pelas novas tecnologias, a verdade é que têm diversas vantagens que as tornam numa solução bastante aceitável para poupar energia e melhorar a sensação de frescura.

 

Ar condicionado caseiro

Apesar de tudo, o uso de ar condicionado é interessante sempre e quando o calor não seja excessivo. Mas caso o mercúrio suba muito e as ventoinhas não consigam baixar a temperatura da casa, existem outras soluções caseiras mais engenhosas. Há muitas versões, como colocar gelo dentro de um recipiente ou garrafas com água congelada em frente à ventoinha.

Se tiver uma ventoinha de tecto, de preferência sobre a cama também é uma boa solução para estar mais fresco, mas pode ainda juntar uma ventoinha e fazer e que dissemos anteriormente, ou seja colocá-la sobre uma mesa ou no chão com gelo à frente. A combinação destes dois aparelhos vai intensificar o efeito de frescura.

calor

Mais vida nocturna

É de bom senso que se aproveite as horas melhores do dia e naquelas alturas em que há menos calor para fazer mais actividades. Aproveitar as horas nocturnas para fazer alguma coisa é uma boa opção para não estar às voltas na cama e sem pegar olho. Obviamente que não estamos a dizer para ir fazer noitadas, mas apenas para alterar ligeiramente os seus horários sempre e quando seja mais razoável dar um passeio, sentar-se numa esplanada, ou até mesmo dar um passeio junto ao mar. Uma boa sesta poderá ajudar a compensar no dia seguinte.

Outra opção para não sofrer tanto calor na cama é tapando-se, pelo menos com o lençol. Embora possa parecer uma contradição, se as temperaturas forem muito elevadas, isolar-se do exterior ajuda a proteger-se melhor das elevadas temperaturas. O que acontece nesta situação é que se cria um ambiente com a nossa própria temperatura corporal, ou seja, cerca dos 37 graus, a que pode ser inferior à temperatura exterior, se por exemplo estiver nos 40 graus.

Tomar um duche de água fria é uma solução momentânea, uma vez que o corpo procura compensar o frio aumentando a temperatura, fazendo com que tenhamos ainda mais calor depois. Uma solução intermédia pode ser molhar o corpo com água fresca de forma parcial. Experimente molhar apenas a cabeça, colocar os pés de molho ou lavar as mãos com água fria.

Outro conselho é manter uma certa distância da sua companheira/o ou da pessoa com que está a dormir, pois os corpos emitem calor.

 

Esfriar a cama

Não se trata de ter uma cama de água e congelá-la, embora a ideia não ande muito longe disso. Neste caso trata-se de refrescar a cama graças a uma curiosa invenção da National Sleep Foundation que esfria o colchão. Este inovador sistema climatiza a cama através de uma espécie de edredão que lembra as mantas eléctricas, e que também permite aquecer a cama no inverno.

Deixe o seu comentário