Pequenas obras de arte ecológicas

Como suponho que os nossos leitores saberão, o mais certo é que diariamente se produza uma quantidade brutal de resíduos. Perante a necessidade de diminuir ou minimizar a contaminação que é produzida, existem diversas opções. Evitar comprar objectos ou alimentos embalados em plástico, reciclá-los ou como faz o artista holandês Helmut Smits, criar instrumentos engraçados, lâmpadas, um estádio de futebol ou qualquer outra coisa original.

Um instrumento musical construído a partir de latas de conserva, chapas e arames. Uma lâmpada feita com iogurtes ou uma sala de troféus original. Não sei muito bem se é ou não útil, porque existem troféus realmente feios, que por vezes o melhor seria não os ganhar. De lâmpadas talvez o melhor nem sequer fosse falar delas, tal é o gasto desnecessário que fazemos com elas. E então as coisas inúteis que compramos, tudo para que dentro de um ano, ou dois, provavelmente as deitemos para o lixo.

Helmut Smits é uma máquina. A sério. Constrói pequenas obras de arte ecológicas. Transforma facilmente as latas que se atiram para o lixo e outros tipos de embalagens e constrói um sorriso, uma pequena obra, um gesto de admiração nas caras dos outros. Tanto assim que por vezes nos ficamos a pensar nas coisas fúteis com que perdemos o nosso tempo.

Agora pensem em reciclar, ou pensem em consumir menos materiais, menos energia, menos árvores, menos contaminação da água, do ar, de CO2. E reutilizem o que já têm. Ou simplesmente gastem menos, o vosso bolso agradece. Vejam o que Helmut Smits conseguiu reaproveitar.

Deixe o seu comentário