Os opostos atraem-se?

A resposta a esta questão segundo sugerem as pesquisas é positiva, mas o que chamamos de diferença vai além dos hábitos, da cor dos olhos e da classe social. Aparentemente são as diferenças genéticas que geram alguma forma de atracção.

As pesquisas sugerem que a força dos genes pode ser maior do que pensamos na hora de escolher os parceiros. Existe algo chamado “Complexo Principal de Histocompatibilidade” (conhecido pela sigla MHC), uma região do nosso genoma na qual ficam vários genes que determinam a resposta imunológica do organismo.

Do ponto de vista biológico, seria bom que os indivíduos com MHC bem diferentes ficassem juntos, para melhorar o sistema imunológico. E parece que é isso que fazemos. “Comparamos a compatibilidade entre os MHC de 90 casais reais com 300 casais de um grupo de controle formado aleatoriamente. Constatamos que de facto buscamos essa diferença”, dizem os investigadores.

Deixe o seu comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Os cookies ajudam-nos a fornecer os nossos serviços. Ao utilizar os nossos serviços, concorda com a utilização de cookies. Saber mais

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close