O que são as ecoaldeias?

Ecoaldeia

As ecoaldeias são aldeias ecológicas, mas a intuição não nos serve para muito mais do que isto. Podemos ainda imaginar que são uma espécie de vilarejos ou pequenos povoados onde se leva uma vida harmoniosa e em sintonia com o meio ambiente.

Mas será que é apenas isto? Neste artigo vamos tentar informar sobre o conceito de ecoaldeia para além do senso comum. Isto porque, entre outras coisas, o conceito de ecoaldeia implica aspectos relacionados tanto com as tecnologias renováveis, como uma filosofia vital muito diferente da que impera actualmente, apostando num estilo de vida diferente, autêntico e de respeito para com o meio ambiente.

Ecoaldeia

As ecoaldeias e a permacultura

Falar de uma ecoaldeia é necessariamente falar de permacultura. Se a ecoaldeia é sinónimo de uma forma de vida alternativa e sustentável, de uma comunidade solidária que procura a auto-suficiência energética e alimentar, a permacultura tem a ver com ecossistemas agrícolas e habitats sustentáveis, integrando desde produção agrícola até ao espaço de vida, a paisagem, a reciclagem, a reutilização, os métodos de obtenção de energia, etc.

Na realidade, em ambos os casos procura-se uma forma de transcender a sustentabilidade para alcançar um resultado positivo, de produtividade e redução da poluição, procurando obter, por exemplo, uma pegada ecológica negativa e um superavit na geração de energia ou na agricultura.

Com efeito, pode-se dizer que a permacultura é o modus operandi, a alma ou a teoria básica da vida na ecoaldeia, se bem que cada uma tenha a sua idiossincrasia particular em função de uma infinidade de factores.

Em Portugal, existe apenas uma ecoaldeia no sentido real do termo, Tamera (Odemira) com cerca de 100 habitantes permanentes, a grande maioria dos quais de nacionalidade estrangeira. Várias das ecoquintas e ecocomunidades existentes em Portugal são quintas biológicas, quase todas criadas por casais estrangeiros, que acolhem voluntários temporários (woofing), e alguns habitantes permanentes, formando grupos que variam entre os 2 e os 10 indivíduos (alguns dos quais portugueses).

Apesar disso, trata-se de um projecto de carácter global que podemos encontrar em (quase) qualquer país do mundo. Todas serão diferentes, mas terão em comum uma série de características, como o objectivo da tripla sustentabilidade ecológica, social e económica.

São muitas as peças que é preciso encaixar nesse ecossistema criado a partir de um assentamento humano que procura encaixar de forma sustentável e respeitosa para com o meio ambiente os aspectos chave para a vida. Ou seja, dentro dela o individuo deverá encontrar forma de ver cobertas as suas necessidades vitais diárias, desde um lar, os estudos e o trabalho até ao lazer, a alimentação, a energia, etc., salvo o uso de hospitais e outros serviços como os transportes de longas distâncias, apenas para darmos alguns exemplos.

Ecoaldeia

Uma saída para a crise

Nos últimos anos e coincidindo com o período de crise económica, a opção pelas ecoaldeias recebeu um impulso importante. No entanto isso poderá ser apenas uma tendência passageira, se bem que exista outra tendência de fundo nível mundial e que não pára de crescer. Essa tendência tem a ver com a opção pelo que é ecológico e natural, razão pela qual também poderá explicar algum do seu sucesso.

A vida numa ecoaldeia pode responder tanto ao desejo de encontrar uma saída para a falta de emprego, como para uma opção de procura por uma alternativa ao modo de vida urbano e à sua pobre qualidade de vida, longe da natureza e dominado por um consumismo absurdo.

Ecoaldeia

Uma aposta num mundo melhor

Fundar uma ecoaldeia ou juntar-se a ela, tem uma importante componente idealista. Não se trata apenas de deixar para trás a vida na cidade, a poluição, os gastos, a dependência energética ou a alimentação baseada na agricultura tradicional e na produção industrial.

Pretende-se também levar uma vida com mais contacto com a natureza e de forma responsável, sendo esta uma forma de vida que nos dá muito mais do que autonomia e saúde. Trata-se, em suma, de conquistar essa individualidade tão valiosa que nos aproxima de um mundo melhor, mais equitativo, mais solidário e mais ecológico, e onde não se confundam valor com preço.

Um comentário

  1. Dario B Santos Julho 10, 2015

Deixe o seu comentário