Blog Linhaceira

Mitos e verdades sobre a agricultura biológica

agricultura biológicaHoje em dia, tanto a sociedade quanto as instituições reivindicam uma mudança na agricultura que se destine a tornar essa atividade mais sustentável e ecológica. Ou seja , culturas livres de produtos químicos. A Comissão Europeia está a promover medidas para que até 2030, 25% de todas as terras aráveis da Europa sejam dedicadas a este tipo de agricultura. Apesar disso, ainda existem céticos que não acreditam plenamente neste tipo de agricultura, por isso a empresa especializada em fertilizantes naturais e controle biológico à base de microrganismos derivados de carcaças de minhoca, Nostoc Biotech, nos traz cinco mitos e verdades na agricultura orgânica.

Os produtos químicos diminuem o sabor das frutas e vegetais

Verdadeiro. Por isso, cada vez mais agricultores estão a optar por fertilizantes ou produtos mais naturais para melhor preservar o sabor de suas frutas e vegetais. De acordo com Enrique Cat, CEO e cofundador da Nostoc Biotech “Os microorganismos encontrados nas minhocas aumentam os açúcares naturalmente presentes nas frutas e vegetais e, portanto, também o seu sabor”.

Os fertilizantes naturais, como húmus, aumentam a produtividade da colheita

Verdade. E também resolvem o problema da desertificação. Ou seja, a colheira está abaixo do limite ótimo de produtividade, em função do baixo teor de matéria orgânica do solo.
Se produtos e fertilizantes mais ecológicos fossem usados, o solo seria menos fraco e mais fértil.

Você não pode controlar pragas sem produtos químicos

Falso. Eles podem ser perfeitamente controlados com produtos mais naturais e orgânicos. Nesse sentido, Cat destaca que os microrganismos presentes no solo e na parte aérea da planta têm um papel crucial.  Estes, juntamente com o uso de fauna auxiliar, extratos botânicos e outras estratégias como, por exemplo, hormonas de confusão sexual ou placas atrativas, possibilitam o controle da maioria das pragas sem o uso de produtos químicos.

Não haveria azoto nas culturas se eliminarmos o químico

Falso. O azoto é o nutriente mais diretamente relacionado ao aumento da produtividade das culturas. Hoje, devido à revolução que este elemento químico produziu na agricultura mundial no século XX, é o produto mais imprescindível em qualquer cultura.
Diante disso, os agricultores biológicos têm sofrido tentando encontrar uma alternativa a este produto, sacrificando muitas vezes a produção.
Mas existem várias alternativas, como produtos à base de bactérias fixadoras de azoto que absorvem o azoto do ar e o disponibilizam para as raízes, o que reduz a fertilização química nas lavouras.
“A maioria dos fertilizantes químicos contém azoto, especificamente amónio. Além de prejudicar o planeta, podem ser prejudiciais às culturas, pois poluem os aquíferos e atraem mais pragas.
Agora, com os microrganismos derivados de peças vazadas, podemos capturar nitrogênio organicamente e oferecer uma alternativa sustentável, acrescenta Cat.

Fertilizantes naturais são mais caros do que produtos químicos

Falso. Para o agricultor é muito mais lucrativo investir em fertilizantes naturais, pois a médio e longo prazo eles trazem mais benefícios e, portanto, maior rentabilidade do que aqueles que contêm produtos químicos.
“Soluções de controle biológico à base de húmus de minhoca são uma mais-valia à cultura, pois reduzem as doenças das plantas e melhoram o estado do solo, o que permite aumentar o volume de produção e a qualidade da colheita; então, enfim, tem um impacto positivo direto nas vendas do agricultor”, completa Cat.
Esses são alguns dos mitos e verdades da agricultura biológica a que futuramente todos deverão ter acesso.
Esperamos que tenha gostado desse post e que veja mais conteúdos no nosso blog.
Exit mobile version