Código aberto e software proprietário empatam em qualidade… ou quase

A Coverity é uma empresa especializada em analisar a qualidade da programação –tanto no âmbito do código aberto(‘open source’), como de software proprietário– que todos os anos realiza um estudo detalhado a esse respeito, e que neste ano de 2013 –com dados de 2012– nos apresenta esse estudo em formato infográfico sob o título de ‘The state of the software quality’.

A principal conclusão deste estudo é que ambos apresentam um índice de qualidade semelhante: 0.69 o código aberto perante 0.68 do proprietário (média da densidade de defeitos ou erros por cada 1.000 linhas de código)… embora com um pormenor importante: a qualidade do ‘open source’ é muito maior nos programas ‘pequenos’ (entre 500.000 e 1 milhão linhas de código), enquanto que no o software proprietário é mais competitivo nos projectos maiores (a partir de 1 milhão de linhas de código).

As razões? Na opinião de Matt Asay. da Read Write,

“Se bem que não exista apenas um único factor que possa explicar este fenómeno, o mais provável é que se deva, pelo menos em parte, ao facto de que os projectos em código aberto terem frequentemente um objectivo específico e são mantidos por um grupo central de programadores comprometidos. À medida que os projectos crescem em tamanho e alcance e mais programadores sobem a bordo, há uma maior relutância para fazer mudanças no núcleo central com medo que aconteça um efeito dominó que poderia acabar afectando negativamente o projecto no seu conjunto.

Pelo contrario, os projectos de software proprietário em geral têm que atingir um certo volume de massa crítica –algures por volta de um milhão de linhas de código, se os resultados do estudo da Coverity forem fiáveis– antes da organização implementar processos de desenvolvimento de testes formais para garantir a qualidade do código”.

No estudo foram analisados mais de 450 milhões de linhas de código (68,4 milhões de código aberto e 381,6 de software proprietário). No total foram 374 os projectos analisados (118 de código aberto), tendo sido detectados 229.219 erros (20.720 de código aberto e 208.499 do software proprietário). 36% das falhas detectadas foram classificados sendo de ‘alto risco’.

Podemos ver que o número de erros é mais de 10 vezes superior nos programas com software proprietário do que nos de código aberto, embora o número de linhas de código analisadas de software proprietário seja apenas 4 vezes superior. Outro dado a ter em conta.

De seguida fica a infografia completa:

SOFTWARE

Deixe o seu comentário