Aurora boreal: um dos mais belos espectáculos da natureza

aurora borealHoje vamos falar um pouco sobre um dos fenómenos mais impressionantes da natureza, a aurora boreal, que basicamente é um fenómeno luminoso que aparece no céu nocturno das regiões árcticas. Também vamos falar dos melhores locais do mundo para apreciar este fenómeno em toda a sua beleza.

As auroras são fenómenos luminosos que aparecem essencialmente nas regiões polares, norte e sul, sendo respectivamente a aurora boreal e a aurora austral.

 

Como se forma a aurora boreal?

As auroras polares são provocadas por uma radiação de partículas carregadas precedentes do Sol, que formam o que se designa por vento solar. Os electrões e os protões que compõem esta radiação são “capturados” pelo campo magnético terrestre e chocam com a ionosfera. Esta é uma das camadas que compõem a atmosfera terrestre, sendo esta composta por gases ionizados e submetidos a altíssimas temperaturas. Quando as partículas procedentes do sol chocam com os gases da ionosfera, produzem brilho e luzes, dando origem a uma variedade de cores que tornam este espectáculo um dos mais impressionantes e belos da natureza.

 

Por vezes parece que as auroras boreais quase que tocam o solo. No entanto, este fenómeno apenas acontece entre os 100 e 1.000 quilómetros acima da superfície terrestre. Os choques que acontecem a menor altitude criam tonalidades amarelas e verdes, enquanto que a maiores altitudes as emissões luminosas têm tonalidades vermelhas e azuis. Algumas auroras polares são enormes, podendo mesmo chegar a medir entre 3 e 5 quilómetros de espessura e mais de 160 quilómetros de altura, podendo estender-se literalmente por milhares de quilómetros.

 

Na Gronelândia, Islândia ou no norte da Noruega ou do Alasca, a aurora boreal pode ser vista umas duzentas e quarenta noites por ano. No norte da Sibéria e na região central do Canadá é vista durante umas cem noites por ano, enquanto que os residentes no sul do Alasca apenas a conseguem observar umas cinco noites por ano. Isto é devido ao facto das auroras dependerem da actividade solar e da sua intensidade, que é tanto maior quando maior for a radiação vinda das erupções solares. As erupções solares intensas podem provocar auroras visíveis fora das zonas habituais, podendo mesmo serem observadas auroras em zonas equatoriais uma vez a cada dez anos.

 

A actividade das auroras polares é máxima durante o outono e a primavera. As regiões mais propensas à manifestação deste fenómeno são as que se situam num círculo de 22°de latitude a partir de cada um dos pólos magnéticos da Terra.

 

Em princípio é possível prever as auroras polares mais intensas. Efectivamente, elas têm uma relação directa com as erupções solares que se detectam através dos telescópios e observatórios. Sabe-se que as partículas que viajam desde o Sol, demoram entre 15 e 30 horas para alcançar a atmosfera terrestre.

 

Quem não gostaria de ver uma aurora boreal?

Deixe o seu comentário