Apenas a reflorestação poderá salvar as florestas

As florestas, que outrora cobriam a maioria do território e se estendiam em todas as direcções, que coloriam a nossa vida, eram a imagem quotidiana. Hoje em dia são uma raridade.

Existem já mesmo pessoas que nunca viveram a sensação de estar no interior de uma floresta, contemplando a sua beleza, ouvindo o som das águas de um rio correndo entre as pedras, cheirando o odor do musgo molhado, escutando o cantar das cigarras enquanto percorremos um caminho poeirento. Tudo isto são experiências inimagináveis para muitas pessoas actualmente.

Por vezes os que governam escutam as vozes dos conservacionistas e de quem conhece o bem inestimável que é uma floresta. Por isso, existem ainda algumas manchas florestais, produto do espírito conservacionista de biólogos ou ecologistas que conseguiram proteger alguns parques nacionais e reservas da biosfera.

A utilização económica do produto da floresta plantada é fundamental para a sua subsistência, tal como para as florestas naturais. Ou seja, se o investidor na floresta não receber uma retribuição mínima, a reflorestação não continuará, nem se manterá. Isto é um princípio fundamental. Por tudo isto é necessário apoiar a produção e o consumo de produtos da floresta.

Em muitos locais o uso de postes de madeira para o transporte de electricidade é considerado inestético, mas em Beverly Hills, um selecto bairro da cidade de Los Angeles, todos os postes usados para esse fim são de madeira e não de metal ou concreto.

Nem sempre se poderá usar postes de madeira para estes fins, mas sempre que possível deveria ser fomentado o seu uso, promovendo ao mesmo tempo o desenvolvimento económico através do consumo da madeira das florestas plantadas. Este é apenas um pequeno exemplo.

As novas tecnologias deveriam ser incorporadas no processo de aproveitamento florestal para que realmente se convertam em alternativas economicamente viáveis e atractivas.

O retorno do uso da madeira ao nosso contexto é agora uma possibilidade que está apenas no seu início. O crescente gosto pelas casas de madeira ao melhor estilo rústico, mas com os modernos sistemas disponíveis, melhores acabamentos, protecção da acção dos insectos ou dos processos naturais de apodrecimento, tornaram realidade uma fantasia de um novo estilo de vida mais confortável e natural.

É possível que as florestas voltem a ser amigas da sociedade numa perspectiva produtiva, ao mesmo tempo que nos permitirão voltar a respirar ar puro, caminhando e descansando nas florestas junto às nossas casas e poderão vir a ser fontes de trabalho e riqueza sustentadas, tanto para nós, como para os nossos filhos. Haja vontade para isso…

Deixe o seu comentário