A reinvenção da garrafa da Coca Cola

A cada cinco minutos são utilizadas dois milhões de garrafas de plástico apenas nos Estados Unidos. Não será difícil pensar que uma grande parte delas pertencem à Coca-Cola, e não estariam apenas cheias da bebida homônima, já que a famosa e poderosa marca comercializa outras, como é o caso da Fanta.

Tal quantidade de plástico acarreta emissões de carbono consideráveis e o design das garrafas PET em pouco ou nada ajuda.

Pela observação, lógica e simplicidade, um jovem estudante universitário inglês, Andrew Kim, propôs-se reinventar a garrafa de Coca-Cola, e com sucesso.

As garrafas de plástico ocupam demasiado espaço, não o aproveitando convenientemente, cheias ou vazias, e apesar de 100% recicláveis, apenas 50% das garrafas distribuídas chega a ser reciclada. Se pensarmos no transporte: camiões, contentores de navio, entre outros, são rectangulares… Então porque não dar essa mesma forma às garrafas?

É essa a solução genial de Andrew com o conceito ‘Eco Coke’, criado curiosamente como projecto no seu segundo semestre do ano de caloiro. Com um design minimalista, atraente, polido e com algo de futurista, esta embalagem ocupa menos espaço no transporte e no armazenamento. Quando cheia ocupa menos espaço do que as garrafas actualmente no mercado e pode ser empilhada, já que o topo e o fundo se encaixam na perfeição. Quando vazia, o seu volume reduz-se facilmente em 66%.

Ao factor espaço, e consequente incentivo à reciclagem, une-se outro factor verde: a nova garrafa é feita inteiramente de subprodutos da cana-de-açúcar, matéria-prima renovável, barata e com baixas emissões de dióxido de carbono e outros poluentes.

Em termos estéticos, ainda que com este novo formato, e até nova abertura numa posição não central para uma posição mais confortável ao beber, a marca gráfica é bem preservada e facilmente identificável. O mesmo produto, o mesmo sabor, um design actual, funcional, económica e ecologicamente viável.

Apesar das evidentes potencialidades deste conceito, e ainda que haja rumores nesse sentido, é ainda incerto se a Coca-Cola estará disposta a abdicar da componente historica da sua “consagrada” garrafa. A ideia é genial, e tanto a marca como o ambiente teriam muito a ganhar com ela.

Deixe o seu comentário

Os cookies ajudam-nos a fornecer os nossos serviços. Ao utilizar os nossos serviços, concorda com a utilização de cookies. Saber mais

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close