A França deverá ser a primeira a construir um navio vertical científico

Uma futurista estação oceanográfica poderá revolucionar a exploração no fundo do mar. O protótipo do primeiro navio vertical do mundo, baptizado de SeaOrbiter, foi apresentado ao público pelo arquitecto francês Jacques Rougerie, de 64 anos. O projecto tem vindo a ser desenvolvido há três anos.

A estação, nunca pensada nem mesmo em filmes de ficção científica, terá 51 metros de altura e contará com andares debaixo de água e outros acima da superfície do mar. Na parte superior haverá uma plataforma de observação. Os cientistas viverão na parte submersa e existirá outra plataforma pressurizada por onde mergulhadores sairão para suas missões.

Rougerie afirma que sua novidade será realidade num futuro próximo e já tem metade dos 35 milhões de euros necessários para a construção do navio que irá navegar pelos oceanos.

“Actualmente, os oceanógrafos só podem mergulhar por curtos períodos de tempo e depois têm de ser trazidos para a superfície. O SeaOrbiter vai oferecer uma presença móvel permanente com uma janela para tudo o que está abaixo da superfície do mar”, afirma Rougerie.

O mega-projecto conta com a consultoria de Jean-Loup Chrétien, o primeiro astronauta da França, que está envolvido no design do navio. Um grande estaleiro francês também assinou sua participação, que já tem também o apoio do presidente francês, Nicolas Sarkozy.

A primeira grande tarefa do SeaOrbiter passará pelo Oceano Atlântico, e em seguida, pelos oceanos Pacífico e Índico.

Deixe o seu comentário